Arquivo da categoria: SEO

Configure alertas nas pesquisas no Google e facilite suas buscas

Dizer que o Google é a ferramenta de buscas mais utilizada e com melhor resultado é algo redundante. Mas há vezes em que a tarefa de digitar consecutivamente na busca por nossos assuntos favoritos dá um certo cansaço. Por exemplo, saber as últimas notícias sobre o iPad, sobre uma banda preferida de rock ou ainda as últimas dicas de games pode se tornar algo entediante.

Normalmente, temos esse tipo de informação executando uma pesquisa – mas isso é uma chateação, pois precisamos parar para executar a mesma pesquisa todos os dias ou até várias vezes por dia. O serviço de buscas do Google é muito bom e você pode ajudá-lo a se tornar uma ferramenta ainda mais útil a partir do  Google Alerts.

O serviço funciona como uma espécie de feed RSS que lhe envia o resultado de suas solicitações para seu e-mail. O serviço é gratuito e o único requisito é ter uma conta no Gmail.

Para configurar um alerta, comece por introduzir um ou mais termos de busca, igualmente como faria para uma pesquisa comum no Google.

alerta_google.jpg

Em seguida, clique no campo Tipo para especificar qual a fonte que o Google deve usar: Blogs, Web, Notícias ou Grupos, ou, se você quiser todas as anteriores, escolha a opção Completo.

No próximo item escolha com qual Frequência deseja receber os alertas, que pode ser uma vez por dia, uma vez por semana ou sempre que encontrar novas ocorrências.

Ainda é possível escolher quantos itens serão listados no e-mail: em lotes de 20 ou 50 resultados. E, por fim, pode-se decidir receber os resultados por e-mail ou por feed.

O feed seria o RSS, que pode ser lido no Google Reader (se você tem uma conta no Google, então tem também uma no Reader).

A ferramenta, sem dúvida, economiza muito nosso tempo quando estamos na busca por assuntos que demoram para se esgotar ou que se atualizam com frequência.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Buscadores, SEO

Um site, múltiplos domínios, conteúdo duplicado?

“Tive uma idéia! Vou comprar 50 domínios!” Ao pesquisar no Google por diversos de seus produtos, o dono de uma empresa descobriu que vários resultados da primeira página Google tinham a palavra pesquisada no nome do domínio. Rapidamente, definiu 50 domínios com variações dos nomes de produtos e ordenou ao pessoal de TI para registrá-los no registro.br e apontá-los para seu site. Criou anúncios em sites de classificados para que os novos domínios tivessem mais visibilidade e a estratégia parecia dar algum resultado, até que um belo dia todos os domínios despencaram ou sumiram do Google.

Conteúdo Duplicado

Conteúdo Duplicado

Basicamente, o que aconteceu é que o Google indexou os domínios como sites separados e detectou conteúdo duplicado em todos os 50, pois afinal todos os 50 domínios eram de fato o mesmo site. Percebeu ainda que todos os 50 pertenciam ao mesmo endereço IP e foram registrados pela mesma entidade. Palavras do Google, “Não crie várias páginas, subdomínios ou domínios com conteúdo duplicado”

Comprar diversos domínios funciona principalmente nas seguintes situações:

  • A sua empresa norueguesa tem o site Norggagonagasriika.no e nenhum cristão no Brasil consegue digitá-lo. Você cria um domínio mais fácil e faz um redirecionamento 301 (permanente) para o site original, e é esse domínio que você vai divulgar no Brasil;
  • Você decide criar hotsites para cada um dos 50 domínios, mas cada um com conteúdo exclusivo. Dessa forma, você pode criar quantos sites quiser sem ser penalizado pelo Google por conteúdo duplicado.
  • Você faz redirecionamentos 301 (permanentes) dos 50 domínios para o seu site. Eles não vão aparecer nos resultados do Google, mas você pode usar esses domínios para campanhas offline, como jornal e televisão, ou para “guardá-los” para futuros hotsites.

Este é um conceito básico para quem mexe com SEO, mas já me deparei várias vezes com problemas como o acima, feito por webmasters com bons conhecimentos de SEO, que posicionaram na primeira página os seus sites e viram tudo isso ir por água abaixo por um deslize destes.

Rule of thumb: Para cada domínio, conteúdo exclusivo!

Por: Schultze | Blog SEO Marketing

Deixe um comentário

Arquivado em SEO

9 Dicas Para Remover Uma Punição Do Google

As punições distribuídas pelo Google não possuem aviso prévio e, geralmente, só são detectadas quando notamos uma drástica queda no volume de acessos dos sites punidos ou em suas conversões, como cadastros, vendas, downloads, etc.

Punição do Google

Punição do Google

Caso você possua um site nesta situação, uma tentativa de fazer o Google reavaliá-lo quanto à punição é submeter um pedido de reconsideração via ferramenta Google Webmaster Tools. Porém, antes de enviar o pedido, é indispensável que você deixe seu site  limpo e preparado, isto é, encontrar e eliminar o motivo da punição. A seguir, listamos alguns pontos importantes a serem considerados:

  1. Cheque sua conta na ferramenta de webmaster do Google (Google Webmaster Tool) para ver se existe algum tipo de alerta ou erro de rastreamento.
  2. Confira seu servidor para se assegurar de que não houve ataque de hackers.
  3. Reveja o seu robots.txt. A melhor opção é adicionar um se você não tiver, assim, estará do lado mais seguro.
  4. Verifique se existe algum imprevisto (negativo) nos seus backlinks: Tanto imprevistos de aumento quando imprevisto de diminuição nos backlinks podem parecer fora do normal.
  5. Cheque a saída de links do seu site (sugestão: Xenu Link Sleuth).
  6. Veja se todas as suas páginas retornam corretamente o status de resposta de cabeçalho.
  7. Análise as mudanças recentes de otimização on-page feitas no seu site.
  8. Reveja a geração de conteúdo por usuários (para links apontando para sites inconvenientes/sem valor ou vocabulário impróprio).
  9. Tente navegar pelo seu site simulando o user-agent Googlebot. Uma opção é utilizar o plugin para Firefox User Agent Switcher.
Algo mais que você queira saber ou sugerir? Por favor deixe seu comentário!
Fonte: SEO Master

1 comentário

Arquivado em Buscadores, SEO

Novo Fator de Rankeamento no Google: Velocidade de Carregamento

Agora é oficial: a velocidade de um site é fator para rankeamento no Google. Parece que o lobby feito por Matt Cutts em sua apresentação no último PubCon deu resultado: o Google anunciou sexta-feira passada que a velocidade de carregamento de uma página é mais um dos cerca de 200 fatores que determinam os rankings dos resultados em seu sistema de buscas.

Velocidade na Internet como fator de posicionamento no Google

Apesar de Matt Cutts e o próprio Google dizerem que esta mudança vai afetar menos do que 1% dos rankings atuais, ambos aconselham fortemente trabalhar para reduzir o tempo de carregamento das páginas de seu site – e nós também. Os motivos?

  • Aumento de Pageviews
  • Maior Conversão
  • Melhora da experiência do usuário no site
  • Redução de custos operacionais

Ou seja, torne seu site mais rápido, deixe seu usuário mais feliz e obtenha mais conversões (vendas, downloads, cadastros, etc.).

No post do anúncio oficial, o Google recomenda algumas ferramentas gratuitas para ajudar webmasters a reduzir o tempo de carregamento de seus sites. Segue a lista:

A velocidade de carregamento não é um fator tão importante como outros realmente relevantes, tanto é que somente vai influenciar no posicionamento de uma porção bem pequena dos resultados das pesquisas. Portanto, conforme o próprio Matt disse, não há motivo para pânico – ainda mais para nós brasileiros, já que esta novidade será implementada inicialmente apenas no google.com e para buscas em inglês.

Hoje, o tempo de carregamento de um site não tem influencia significativa em seus rankings. Mas e no futuro? Será que uma página que demore por volta de 10s para abrir vai ser “penalizada” por uma empresa que considera velocidade na web um fator muito importante para seus produtos e pesquisa por isso constantemente? Essa resposta somente o tempo irá nos dizer, porém fica a mensagem (ou dica) do Matt Cutts: “a faster web is better for all” (em Português: uma Internet mais rápida é melhor para todos).

E você, o que acha a respeito disso? Também utilizaria o tempo de carregamento como fator para determinar os rankings de seu mecanismo de busca?

Fonte: SEO Master

Deixe um comentário

Arquivado em Buscadores, SEO

Configure alertas nas pesquisas no Google e facilite suas buscas

Faça o buscador achar automaticamente seus temas preferidos e enviar os resultados por e-mail na frequência desejada.

Dizer que o Google é a ferramenta de buscas mais utilizada e com melhor resultado é algo redundante. Mas há vezes em que a tarefa de digitar consecutivamente na busca por nossos assuntos favoritos dá um certo cansaço. Por exemplo, saber as últimas notícias sobre o iPad, sobre uma banda preferida de rock ou ainda as últimas dicas de games pode se tornar algo entediante.

Normalmente, temos esse tipo de informação executando uma pesquisa – mas isso é uma chateação, pois precisamos parar para executar a mesma pesquisa todos os dias ou até várias vezes por dia. O serviço de buscas do Google é muito bom e você pode ajudá-lo a se tornar uma ferramenta ainda mais útil a partir do  Google Alerts.

O serviço funciona como uma espécie de feed RSS que lhe envia o resultado de suas solicitações para seu e-mail. O serviço é gratuito e o único requisito é ter uma conta no Gmail.

Para configurar um alerta, comece por introduzir um ou mais termos de busca, igualmente como faria para uma pesquisa comum no Google.

alerta_google.jpg

Em seguida, clique no campo Tipo para especificar qual a fonte que o Google deve usar: Blogs, Web, Notícias ou Grupos, ou, se você quiser todas as anteriores, escolha a opção Completo.

No próximo item escolha com qual Frequência deseja receber os alertas, que pode ser uma vez por dia, uma vez por semana ou sempre que encontrar novas ocorrências.

Ainda é possível escolher quantos itens serão listados no e-mail: em lotes de 20 ou 50 resultados. E, por fim, pode-se decidir receber os resultados por e-mail ou por feed.

O feed seria o RSS, que pode ser lido no Google Reader (se você tem uma conta no Google, então tem também uma no Reader).

A ferramenta, sem dúvida, economiza muito nosso tempo quando estamos na busca por assuntos que demoram para se esgotar ou que se atualizam com frequência.

Fonte: PC World

Deixe um comentário

Arquivado em SEO

Otimização para sites de busca com técnicas SEO

Descubra como garantir um bom posicionamento do seu site em mecanismos de busca.

Mestre SEO

SEO Master

Brasil SEO

SEO

SEO

Todo mundo que tem um site sonha em aparecer na primeira página de resultados do Google. São milhões de endereços disputando aquelas 10 posições, que são gratuitas e podem gerar milhares de acessos diários para a sua página. Mas… como conseguir isso? O caminho é cheio de variáveis e tem empresas especializadas em estudar, entender e aplicar técnicas para que os buscadores entendam que a sua página tem valor e, por isso, merece destaque. Essas técnicas são chamadas de SEO, Search Engine Optimization. Em português, algo como Otimização para Mecanismo de Busca.

“Quando você pensa em colocar a sua informação na internet, você nem sempre atinge seu usuário diretamente, eles não conhecem você. Então ele vai te procurar em algum lugar, e a maioria das pessoas acaba procurando em buscadores. Já é uma atividade mais realizada do que e-mails ou outras atividades na internet. Então as pessoas vão aos buscadores procurar informações. E você fazendo um trabalho de SEO é você se tornar visível neles (buscadores), porque não é tão simples aparecer neles. Eles fazem muita coisa automática, eles procuram muito conteúdo automaticamente na internet, mas você precisa seguir alguns parâmetros ou recomendações deles para que o seu conteúdo apareça do jeito que você quer, e não simplesmente jogado ou escondido através de algum código”
, detalha o diretor de Tecnologia da Direct Performance, Leonardo Naressi.

Alguns pilares garantem um bom posicionamento e boa quantidade de acessos ao seu site e blog. O primeiro é a programação, que demanda alguns conhecimentos específicos e até mais técnicos. Mas se você utiliza plataformas gratuitas e bem desenvolvidas como o WordPress, por exemplo, essa parte deixa de ser um problema. Existem até mesmo plugins que otimizam ainda mais o seu site. É só adicioná-los e avaliar o resultado. Dê uma olhada neste site aqui, por exemplo. Neste dia, 87,5% dos acessos vieram do Google.

Mas, de nada adianta trazer novos visitantes se eles não se tornarem parte do seu público fiel. Para isso, é imprescindível que o seu conteúdo seja de boa qualidade. Aqui vale uma observaçã procure utilizar palavras-chave nos títulos, na própria URL e também como tags. Os buscadores enxergam estas três áreas de forma diferenciada. Uma outra forma de chamar atenção para os termos mais importantes é colocá-los em negrito.
“Se você trabalho com carros, você vai colocar carros nos lugares certos. Você não vai fazer isso porque você não vai colocar carros em todos os lugares. Se você cartão de crédito, você vai precisar colocar a palavra ‘cartão de crédito’ em algum lugar. Não adianta você fazer um site que não contém essa palavra, então você tem que colocá-la no título, na URL. Não de maneira abusiva, mas de maneira que identifique seu produto para o usuário”, explica Naressi.

Outro detalhe que faz toda a diferença é espalhar o link do seu site ou blog pela web. Os buscadores entendem que quanto mais links apontarem para o seu site, mais você é referência com relação àquele assunto. E já que hoje todo mundo tem redes sociais, aí está uma boa forma de começar. Aponte o seu site no Orkut, Facebook, Twitter. Deixe comentários em blogs com temática parecida. Tudo isso ajuda a trazer mais visitantes e a dar credibilidade ao seu site junto aos buscadores.
“Isso em popularidade é muito importante para os buscadores, e talvez seja um dos maiores fatores de ranking de diferenciação de posicionamente você ter bons parceiros apontando para você, e seu conteúdo ser linkado em outros sites”, finaliza o diretor.

Quer alavancar acessos para o seu site ou blog? Então acesse agora, no início do texto, a lista de links que tratam este assunto com mais profundidade. Preste atenção nas dicas e garanta o seu crescimento no mundo online.

Fonte: Olhar Digital

2 Comentários

Arquivado em SEO

4 macetes para fazer sua empresa se destacar nas buscas da internet

A cada dia, mais executivos e empreendedores do mundo online e offline se dão conta da importância de estarem bem posicionados nos resultados de sites de busca. Para muitos, aparecer ou não na primeira página de um mecanismo de busca como Google ou Bing é a diferença  entre o sucesso e fracasso de seu negócio.

4 macetes para fazer sua empresa se destacar nas buscas da internet

4 macetes para fazer sua empresa se destacar nas buscas da internet

Pagar por cliques em campanhas de links patrocinados pode não ser eficiente ou economicamente viável, restando então aparecer nos resultados naturais, ou seja, os não pagos. Por uma limitação matemática e para desespero de muitos, só existe um primeiro lugar, e geralmente só são exibidos 10 resultados na primeira página.

Os mecanismos de busca utilizam perto de 200 variáveis em constante mutação para definir o posicionamento de cada site. Ao invés de tentar mapeá-las, existem algumas regras básicas que podem ser seguidas.

1. Escolha as palavras-chave corretas

Você quer aparecer na primeira página do Google, mas já parou para pensar para quais palavras? É comum ouvir de clientes frases como “quero aparecer em primeiro lugar para a palavra ‘carros’”. Mas, convenhamos, quem digita “carros” no Google? Provavelmente uma criança de cinco anos atrás de fotos do Lightning McQueen, o carrinho vermelho e tagarela do filme da Disney. Aparecer em primeiro lugar para a palavra “carros” não significa que você aparecerá em primeiro para “perfume para carros” ou “classificados de automóveis”.  Um trabalho de SEO (do inglês Search Engine Optimization, ou otimização para sites de busca) começa exatamente na escolha das palavras-chave mais importantes para o seu negócio. Para cada palavra-chave escolhida, tenha no mínimo uma página em seu site relacionada a ela. É importante ainda não se prender a termos técnicos demais que apenas você e seu concorrente conhecem. Escolha as palavras mais popularmente utilizadas.

2. Conquiste o topo por mérito

Sites como o Bing existem para oferecer aos usuários os resultados mais relevantes possíveis às buscas efetuadas. Olhe para o seu site e pergunte-se: “Eu mereço estar na primeira posição, na primeira página dos resultados? O meu site é o melhor? É o que tem o conteúdo mais relevante do meu setor? Sou a empresa com mais tempo de mercado, a mais conhecida?” Faça-se merecedor da primeira página! Tenha um site rico em conteúdo, com áreas úteis, educativas, com produtos exclusivos.

3. Mil palavras valem muito mais do que uma imagem…

Bem, ao menos para sites de busca… O Google, por exemplo, lê e interpreta o texto de seu site para determinar sobre o que este se trata e calcular em que posição deve aparecer para cada uma das palavras lidas. Um site muito gráfico e com pouco texto pode ser excelente para transmitir um conceito diferenciado, mas não ajuda em nada ao Google decifrar o seu conteúdo. Sites desenvolvidos em Flash ou Javascript também apresentam barreiras que podem impedir a sua correta interpretação. Site todo feito em Flash é pecado mortal, esqueça! Procure desenvolver o seu site utilizando tecnologias que facilitem o trabalho do Google, como HTML, ASP, PHP, CSS e com páginas ricas em texto.

4. Seja o mais votado

O Google criou um mecanismo similar a uma eleição chamado de PageRank, onde ao invés de votos, as páginas na internet que possuem uma maior quantidade de links apontados tornam-se mais propensas a se destacar nos resultados de busca. Cada link é considerado um voto de confiança dado pelo site. Além da quantidade de links, o Google avalia ainda a importância e relevância do site de origem do mesmo. Um link do site da PC Magazine, por exemplo, apontado para um site de jogos online tem muito mais peso do que 10 links de blogs sem importância falando de turismo na Patagônia. A medida em que o seu site for ficando mais conhecido, mais links espontâneos receberá. Não custa acelerar o processo e pedir a seus principais parceiros comerciais e amigos para apontarem  um link para o seu site!

[Colaboração: Bernhard Schultze]

2 Comentários

Arquivado em SEO