Arquivo da categoria: Fotografia

Cinco dicas rápidas para melhorar as fotos das festas de fim de ano

Olhe ao seu redor. Sem dúvida você já deve ter visto vitrines de lojas decoradas com guirlandas e “neve” de algodão, e talvez até tenha esbarrado com um Papai Noel por aí. Sinais inevitáveis de que as festas de fim de ano estão se aproximando, e você deve preparar sua câmera para documentar tudo. Siga estas cinco dicas simples e se torne a estrela no álbum da família;

1. Domine a luz ajustando o balanço de branco

Enquanto fotografa a família reunida ao redor da mesa, não se esqueça de prestar atenção na iluminação da cena, que pode ser bastante traiçoeira. Especialmente se você estiver fotografando no final da tarde, com luz do sol passando pela janela, luzes da sala acesas e talvez algumas velas ao fundo, todas competindo pela atenção do sensor de sua câmera.

fotos_natal_mesa-360px.jpg

Ajuste o balanço de branco para não “tingir” as fotos. Crédito: Flickr/Julie

Se você confiar apenas na câmera, suas fotos podem acabar “puxando” para um tom de cor como o vermelho ou azul e ficar horríveis. A melhor opção é calibrar o balanço de branco manualmente usando uma folha de papel sulfite antes de fotografar (consulte o manual da câmera para saber como). E lembre-se de redefinir o balanço de branco para “automático” quando tiver terminado.

2. Combine as melhores partes de fotos em grupo com o Photo Fuse

Qualquer um que já tenha tentado tirar uma foto de toda a família ao lado da árvore de natal sabe que é preciso tirar pelo menos uma dúzia delas até conseguir uma que seja meramente aceitável. Mas neste ano há uma nova ferramenta para ajudar: é o recurso Photo Fuse do Windows Live Photo Gallery, parte do pacote gratuito Windows Live Essentials.

O Photo Fuse permite “fundir” partes de múltiplas imagens similares em uma só. Você bate várias fotos da mesma cena e se houver algo errado em uma delas (pessoas espirrando, piscando ou olhando pro lado, por exemplo) você pode recortar e colar pedaços de outra, criando uma cena composta onde todo mundo está perfeito.

Para criar uma “fusão” selecione as fotos no Windows Live Photo Gallery e escolha a opção “Photo Fuse” na aba “Criar”. Depois é só clicar na imagem e escolher quais partes quem combinar.

3. Fotografe velas e enfeites bem de perto

Gosto do fim de ano porque tenho a chance de fotografar luzes, enfeites e velas bem de perto. Coloque sua câmera em um tripé, já que este é o tipo de foto que deve ser feita à noite. Gosto de procurar por detalhes sutis e capturá-los bem de perto, como os detalhes de um ornamento ou a chama de uma vela. Use o zoom de sua câmera para ajudar a enquadrá-los.

fotos_natal-360px.jpg

Use um tripé para fotografar velas e enfeites. Crédito: Flickr/Robin Tell

Coloque sua câmera no modo manual, escolha uma abertura do obturador mediana (como f/5.6) e tente uma foto com exposição de vários segundos. Observe os resultados e ajuste a câmera como necessário: se quiser mais brilho e luzes dramáticas, aumente a abertura. Se quiser que a cena inteira seja mais clara, aumente o tempo de exposição. Tente várias opções e escolha a que mais gostar depois.

4. Tire retratos com as luzes de natal no fundo

Quer andar pela vizinhança e fotografar as luzes de natal? Não se esqueça de levar junto um tripé. Aproveite e coloque algumas pessoas nas cenas para fazer retratos. Combine uma baixa velocidade de obturador (que irá ajudar a expor as luzes e decorações no fundo) com o flash para iluminar o rosto das pessoas. E não demore muito para sair: a melhor hora para fazer estas fotos é logo após o pôr do sol, quando ainda há um pouco de luz no céu.

5. Inclua seus bichinhos

Não esqueça de incluir os membros de quatro patas da família em suas fotos. Se você quiser que seu bichinho olhe para algum lugar em específico, chame a atenção dele com comida. Peça para alguém segurar um biscoito ou pedaço de queijo ou carne perto da câmera e você terá a atenção total de seu cachorro ou gatinho.

fotos_natal_gato-360px.jpg

Ofereça comida para chamar a atenção de seu bichinho. Crédito: Flickr/Rigues

Fonte: pcworld.uol.com.br

Deixe um comentário

Arquivado em Fotografia

Imagens livres de direitos autorais na internet

Reunimos algumas dicas de sites com acervos de fotos e ilustrações para você baixar em alta qualidade

Links:

Sabe quando voce está fazendo um trabalho escolar, ou uma apresentação para mostrar no escritório, e falta uma imagem para ilustrar melhor o que voce está dizendo? O Olhar Digital pesquisou uma boa solução para o seu problema: os bancos de imagem digitais.

Que tipo de fotos você gosta? Retratos da natureza? Da imensidão das grandes cidades? Ou de crianças fofinhas? Bom, reunimos algumas dicas de sites com acervos enormes de imagens para você baixar em alta qualidade. São ótimas alternativas para quem possui um blog ou até mesmo precisa de fotos para ilustrar alguma tarefa da escola ou apresentação no trabalho. Ah, e o melhor: é tudo de graça.

Diretos

Diretos

O primeiro é o invocad Stock Exchange. Lá você encontra uma galeria com quase 400 mil fotos gratuitas, prontinhas para download. Após fazer o cadastro, é possível ter acesso a todo o conteúdo. O site funciona como uma rede social, dá para ter acesso ao perfil dos usuários que já cadastraram alguma foto. Você faz a busca pelo tipo de imagem ou então pode escolher por categorias pré-determinadas. Dá até para guardar as fotos preferidas no seu perfil. Basta clicar em “Add to Lightbox” e tudo vai ficar guardadinho na sua conta. Se quiser publicar suas próprias fotos, é só fazer o Upload do arquivo. Simples, não é?

O Stock Vault também compartilha fotos gratuitamente. Reúne mais de 27 mil pessoas do mundo inteiro. Você encontra imagens de objetos eletrônicos, de paisagens, de alimentos e por aí vai. O acervo do portal conta com cerca de 20 mil fotos. As categorias ficam no menu à esquerda do site, e também dá para ver quais são as imagens mais baixadas. Só fique ligado porque algumas fotos não são de graça. Mas se vc quiser algumas delas mesmo assim dá para pagar com cartão de crédito internacional.

E a última dica é esse outro site, o Every Stock Photo. Ele funciona de uma forma diferente dos outros dois que mostramos. O portal trabalha como um buscador de fotos gratuitas. Ou seja, ele consulta diversos bancos de imagens e oferece uma série de resultados. Nesse caso você pode procurar por vários assuntos, como Rio de Janeiro, esportes, cidades, pessoas, enfim, o que você precisar. E também é o caso de prestar atenção, nem todos os sites indicados cedem imagens de graça.

Fonte: Olhar Digital

Deixe um comentário

Arquivado em Fotografia, Internet

Conheça o mundo das câmeras semi-profissionais

Descubra o que diferencia esse tipo de aparelho das outras câmeras compactas e profissionais.

Câmeras Semi-Profissionais

Câmeras Semi-Profissionais

Nem sempre as câmeras de bolso conseguem dar conta das imagens que queremos captar. Se você é fã de fotografia, talvez esteja na hora de conhecer um pouco mais dos recursos das máquinas semi-profissionais e profissionais.

Para começar, é bom entender que a indústria divide as câmeras em pelo menos 3 categorias. As profissionais, as semi-profissionais e as compactas. Essas últimas são as mais comuns, é claro. As câmeras compactas estão por todos os lados, e oferecem bons recursos.Essa aqui, por exemplo: tem opções de velocidade de captação, tempo de exposição e até mesmo uma grande variação de escolha do ISO. Para quem não sabe, o ISO é um tipo de escala que – grosso modo – serve para ajustar a sensibilidade à luz.

Mas, estamos falando de câmeras compactas, então os recursos não são muito abrangentes. Além disso, em nome da economia e do tamanho, todos os modelos tendem a agrupar todos os controles em um ou dois botões, o que dificulta um pouco a agilidade de quem já está interessado em fotografar mais do que a festa de aniversário em família.

Outra diferença importante é que as câmeras compactas não tem a opção de troca de lentes. Isso, só a partir das chamadas semi-profissionais para cima. Trocar as lentes permite que as câmeras sejam adaptadas ao uso que o fotógrafo deseja fazer. Dá para obter mais profundidade, maior seleção de foco ou realizar uma imagem em macro, por exemplo. A lente, nesses casos, é item indispensável. Então, essa é a primeira dica: se você pensa em comprar uma câmera semi-profissional, cheque o preço das lentes, muito provavelmente você vai precisar comprar uma separadamente.

“A semi e a profissional, sem nenhuma lente não funcionam. Só o corpo dela faz uma foto em branco. Dá para ver que só o sensor sendo exposto não sai nada. A lente cria a imagem e joga no sensor a imagem relativa milimetragem também”, explica o fotógrafo Julio Brunet.

Diferente das câmeras compactas, as profissionais e semi-profissionais também têm a opção de captar imagens sem muita compressão. As máquinas compactas comprimem automaticamente as fotos em formato JPEG, o que reduz a qualidade da imagem. Já os outros modelos têm a opção de gravar as fotos em RAW (lê-se Ró). Em inglês, RAW significa cru. E é isso que essas máquinas fazem: arquivam sem tratamento, preservando mais detalhes da imagem. O detalhe é que esse tipo de arquivo só pode ser aberto em programas específicos, como o Photoshop.

Nas máquinas digitais, os sensores têm grande influência no resultado final da imagem. Apesar do número de pixels ser comumente associado à qualidade da foto, essa equação nem sempre está correta. Uma câmera semi-pró até pode ter uma quantidade menor de pixels que uma máquina compacta, no entanto, o seu sensor é maior, o que confere mais qualidade aos pixels existentes. Essa também é uma das principais características que diferencia uma câmera semi profissional de uma profissional – as profissionais costumam ter os maiores sensores. No resto, as duas são bem parecidas.

As câmeras compactas continuam sendo uma boa pedida para as recordações do dia-a-dia. Mas se você quer um pouco mais das suas fotos, ou até mesmo se arriscar no mercado profissional, as semi-pró podem dar aquela liberdade de configurações que você talvez esteja sentindo falta.

Fonte: Olhar Digital

8 Comentários

Arquivado em Fotografia

Edite suas fotos de graça na web

Está procurando um editor de fotos? As escolhas mais tradicionais incluem o Adobe Photoshop Elements e o Corel Paint Shop Pro. Há também opções gratuitas como o Paint.Net e o GIMP.

Mas hoje em dia, existe uma forma totalmente nova de editar suas fotos digitais: usando editores online, que rodam dentro de um navegador de internet – seria o equivalente para fotos do Google Docs ou do Zoho.

As vantagens são que você não precisa instalar nada e ainda pode editar suas fotos em qualquer lugar com conexão à internet. As desvantagens? Exatamente o que você imagina: esses programas, em geral, oferecem somente uma pequena fração dos recursos encontrados nos grandes editores de imagem, como o Photoshop – e, claro, você não pode trabalhar offline. Vamos dar uma olhada em alguns desses programas.

FotoFlexer
O FotoFlexer é a prova de que você não precisa sacrificar todos os recursos que conheceu a partir de programas como o Photoshop Elements para usar um editor online de fotos.

Depois que você fizer upload de uma imagem para o site, vai ver uma interface de um programa simplificado de edição de fotos. Mas há muitos recursos extras, incluindo suporte a camadas – você pode carregar diversas imagens e controlar a opacidade de cada camada, da mesma forma que num editor de imagem comercial.

O programa ainda traz efeitos como extremidades borradas, escalas de cinza e conversão em sépia, além da habilidade de transformar suas fotos em quadrinhos. O FotoFlexer tem até a ferramenta como as Curvas do Photoshop para ajuste de cor e o modo tela cheia para que você não se sinta trabalhando num navegador.

fotoflexer2.jpg

Picnik
Apesar de não ser a opção mais potente disponível, o Picnik é interessante. Você pode usar sua interface simples para reunir fotos de seu HD ou de sites de compartilhamento como o Flickr, Facebook, e Myspace. O básico ele oferece: você pode girar, cortar, redimensionar e retocar as cores e a exposição.

Como o Corel Paint Shop Pro, o removedor de olhos vermelhos lida muito bem tanto com humanos quanto com animais. A aba Create (Criar) traz filtros de efeitos especiais, como preto & branco, sépia, realce nas cores e desfoque suave.

picnik2.jpg

SplashUp
O SplashUp tem a interface mais tradicional dos editores online dessa lista. É completa com uma barra de menu na parte de cima da página e uma barra de ferramentas à esquerda com todos os itens usuais. Assim como o FotoFlexer, o site tem suporte a camadas, de forma que você pode combinar fotos ou fazer ajustes finos em suas imagens.

O SplashUp possui até seu próprio formato de arquivo, que preserva as informações sobre camadas, de forma que você pode abrir um projeto e continuar editando depois – como no Photoshop. Você pode carregar fotos de seu PC ou de sites de compartilhamento como Facebook, Flickr, Picasa, e SmugMug.

splashup2.jpg

Photoshop Express
Por mais bacana que o Splashup seja, ele não é tão caprichado como o Adobe Photoshop Express, uma versão online do bom e velho Photoshop Elements. Você tem acesso ao mesmo basicão que o FotoFlexer oferece – por exemplo, cortar, girar, remover olhos vermelhos, correção de exposição – mas não há suporte para camadas nem para outros recursos mais poderosos de edição e correção do Elements.

Você vai ter acesso a itens legais, como o ‘fill light’ (que permite ajustar o primeiro plano separadamente do fundo), filtros e distorção de imagem. E da mesma forma que a versão para desktop do Photoshop, você pode escolher entre diversas variações de miniaturas para o mesmo efeito.

Assim como as outras ferramentas, você pode subir fotos de seu próprio PC ou de sites como Facebook, Flickr, Photobucket e Picasa. A Adobe oferece generosos 2 GB de espaço para armazenamento online – e há opções de serviço pago com capacidade extra para fotos.

photoshop_online2.jpg

Fonte: PCWorld

1 comentário

Arquivado em Fotografia

Dicas nas fotografias noturnas

Truques-para-fotos-noturnas

Truques-para-fotos-noturnas

Dois truques para fotograr à noite mesmo que sua câmera seja compacta e você não conte com os recursos ideais.

pesar de toda a praticidade de usar uma câmera digital compacta, esses modelos não têm os recursos ideais para fazer fotos em ambientes mal iluminados. Normalmente, o sensor das compactas é pequeno, a lente tem pouca abertura e o flash é fixo e fraco. Câmeras reflex saem-se muito melhor nessas situações. Mas, mesmo que você fotografe com uma compacta, é possível registrar as imagens com a melhor qualidade possível e usar o aplicativo de edição para aprimorar a foto. Confira dois truques para a hora do clique.

1. Firmeza é fundamental
Fotografias noturnas exigem que a máquina fique fixa no momento da foto. O ideal é usar um tripé. Mas quando isso não é possível, apoie a câmera numa superfície fixa, como o parapeito de uma janela. Assim, você reduz as chances de a foto sair tremida. Outra coisa que pode ajudar a evitar tremores em cenas escuras é ajustar a câmera para um valor elevado de sensibilidade ISO. Assim, a máquina vai aproveitar ao máximo a pouca luz existente no ambiente. A foto vai ficar com aspecto granulado, mas esse problema pode ser atenuado depois com um programa de edição de imagem. Se a câmera tiver estabilizador óptico, certifique-se de que ele está ligado.

2. Cuidado com o Flash
O flash das câmeras compactas tem alcance limitado e não serve para iluminar paisagens ou objetos que estejam a mais de 5 metros do fotógrafo. Nessas situações, é melhor deixá-lo desligado. Um bom exemplo de uso equivocado são as fotografias de shows, quando o flash ilumina as cabeças de quem está à frente, mas não chega até o palco.

Deixe um comentário

Arquivado em Fotografia