Arquivo do mês: abril 2010

Cloud computing: Conheça este novo conceito

Cloud computing é a expressão do momento em tecnologia. Nomes de peso como Amazon, AT&T, Dell, HP, IBM, Intel, Microsoft e Yahoo já anunciaram planos e investimentos na área e o Gartner acaba de liberar um relatório que aponta o cloud computing como uma das três mais importantes tendências emergentes nos próximo três a cinco anos.

Cloud Computing

Cloud Computing

Mas se há um consenso de que esta é a hora do cloud computing, não é possível dizer que haja uma idéia definida comum do que realmente é a chamada computação em nuvem. As opiniões são variadas e um bom exemplo de que o conceito ainda está nublado é o divertido vídeo da fornecedora Joyent, que mostra personalidades notórias como o visionário da web 2.0, Tim O’Reilly, o editor-chefe da CNet, Dan Farber, e o co-fundador do Wodpress, Matt Mullenweg, dando visões bastante distintas sobre o tema.

Juntando tudo, cloud computing pode ser definido como um modelo no qual a computação (processamento, armazenamento e softwares) está em algum lugar da rede e é acessada remotamente, via internet.

“O que realmente significa é que alguém vai assumir a responsabilidade de entregar algumas funções de TI como serviços para alguns clientes e eles não precisam saber como funciona, eles simplesmente usarão”, esclarece Daryl C. Plummer, vice-presidente do Gartner, em um podcast da empresa de análise.

A nuvem em funcionamento
Pode parecer abstrato, mas alguns serviços que usamos no dia-a-dia ajudam a exemplificar o que significa este modelo. O e-mail é um deles. No modelo tradicional de computação, suas mensagens ficam salvas no software de e-mail, dentro do seu computador.

Em contrapartida, com os e-mails baseados em web (Hotmail, Gmail, Yahoo Mail ou qualquer outro da sua preferência), você pode acessar sua conta com todas as suas mensagens – armazenada em um servidor alheio -, a qualquer hora, de qualquer lugar, por meio da internet.

Aplicativos de edição de texto, planilhas, apresentação, edição de imagem e até softwares de gestão de relacionamento com clientes (como o CRM online da Salesforce.com) também estão migrando para este modelo.

E não são apenas os softwares que podem ser acessados remotamente pela nuvem. Os recursos de hardware – como processamento e armazenamento também (hoje já é comum guardarmos arquivos, e-mails, fotos, vídeos em servidores de terceiros e acessá-los remotamente pela web).

As vantagens do modelo
Todas estas tecnologias que vêm emergindo e amadurecendo foram empacotadas no conceito que levou o nome de cloud computing. “Em alguns anos não vamos chamar isso de cloud computing. Não terá nome. Será simplesmente computação”, defende Luis Sena, gerente de marketing de serviços da HP Brasil.

O entusiasmo com o cloud computing e os esforços de companhias do porte das citadas no início desta matéria se devem às inúmeras vantagens que ele pode oferecer tanto aos fornecedores de tecnologia quanto aos usuários.

Em primeiro lugar, este é um modelo que prevê um melhor aproveitamento dos investimentos em hardware. Um dos pilares do cloud computing é a consolidação dos recursos de hardware para que eles possam ser aproveitados ao máximo e gerenciados de forma inteligente, proporcionando economia de custos.

“O mais relevante é que estamos falando de uma escala que não é mais local, mas sim global. O Google tem dezenas de data centers espalhados pelo mundo. Todos prestam serviços não a um país, mas a diversos, atendendo milhões de usuários”, define José Nilo Martins, gerente sênior de Google Enterprise para o Brasil.

A rede de varejo Amazon.com foi uma das pioneiras em entender e aplicar isto a seu favor. Para suportar a demanda das datas de pico em vendas – como o Natal – a loja online teve que investir em um poderoso parque de hardware. No entanto, fora das datas críticas, grande parte dos recursos ficava ociosa.

Desde 2002, a companhia vem experimentando com o “aluguel” desta capacidade. Em 2006, a empresa lançou dois serviços abertos ao público que a colocaram à frente na corrida do cloud computing: o Simple Storage Solution (S3), que permite ao usuário comprar espaço para armazenar arquivos online; e o Elastic Compute Cloud (EC2), que permite utilizar máquinas virtuais completas.

Os serviços não são apenas uma saída para o problema da Amazon, mas também uma oportunidade para as empresas começarem um negócio sem ter de investir na compra de equipamentos e com a flexibilidade de aumentar os recursos conforme for necessário.

Este exemplo revela outra vantagem do cloud computing: a flexibilidade. Se você precisa de mais processamento, você pode fazer um upgrade imediato de capacidade, sem precisar trocar componentes ou até equipamentos inteiros para isto. O mesmo vale para armazenamento ou até mesmo upgrades de software.

Se antes, para atualizar um software o administrador tinha que reinstalar todo o produto na máquina de cada usuário, neste modelo os aplicativos podem ser constantemente aperfeiçoados sem impactos para os usuários, uma vez que estão hospedadas em um único ponto central. Quantas vezes o Google já introduziu melhorias no Gmail, por exemplo, sem afetar a rotina dos seus milhões de usuários?

Outra vantagem deste novo modelo computacional é que ele não exige mais equipamentos potentes na ponta para acessar as aplicações. Como a parte mais pesada do processamento fica na nuvem, o usuário final só precisa de um browser e uma boa conexão à internet. “Com o cloud computing, qualquer um pode ter um supercomputador em casa”, afirma Fábio Boucinhas, diretor de produtos do Yahoo Brasil.

Desafios no ar

As empresas envolvidas na promoção do cloud computing têm, contudo, alguns desafios, entre eles segurança e confiabilidade. Para que o usuário confie grande parte de seus sistemas e arquivos a um terceiro, ele terá de garantir que os dados estejam devidamente protegidos e 100% disponíveis.

Isso é ainda mais crítico quando se trata de informações empresariais altamente sensíveis, como processamento de dados financeiros. “Isso terá de ser regulado para garantir que será feito da forma certa”, alerta Plummer, do Gartner.

A forma como esses serviços serão cobrados também é outra questão importante. Fornecedores que tiveram sucesso vendendo caixas – seja de software ou de hardware – terão que migrar para o modelo de venda de serviços. “Os custos para os usuários finais serão menores”, assegura Otávio Pecego, gerente do grupo de arquitetura da Microsoft Brasil.

Para endereçar questões como esta, três grandes nomes da indústria de tecnologia – Intel, HP e Yahoo – formaram uma aliança. “Hoje as questões de segurança e confiabilidade são inibidores do modelo. A idéia é identificar como atender esses requerimentos e criar padrões”, explica Sena, da HP.

O ritmo de adoção do cloud computing será definido pela velocidade com que estas questões serão endereçadas. “Quando isso acontecer – e vai acontecer – o fenômeno vai estar em pleno efeito”, prevê Plummer.

Fonte

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Informação, Tecnologia e sistemas

12º Encontro Locaweb – Curitiba e São Paulo

O que vai rolar

A Locaweb chegou a décima segunda edição do Encontro Locaweb de Profissionais de Internet, o evento que já se tornou uma referência no Brasil. Mais de 7.200 pessoas já tiveram a oportunidade de participar deste encontro, e você não pode ficar de fora dele. Venha conferir as tendências do mercado, atualizar seus conhecimentos e fazer novos contatos. A programação apresenta renomados profissionais, cases, conhecimentos técnicos, informações e muito mais.

12º Encontro Locaweb

12º Encontro Locaweb

Os palestrantes

Nome: Fábio Akita
Akita é Gerente de Projetos na Locaweb, idealizador do Rails Summit e Ativista Rails no Brasil. Trabalha e evangeliza Rails desde 2006, além de ajudar a evangelizar novas tecnologias e a Filosofia Ágil. Mantém o blog AkitaOnRails.com.

Palestra: Desmembrando Pessoas – Pensamentos Aleatórios sobre Gestão
A área de Gestão está em constante evolução há décadas, mas a maioria das pessoas ignora o que já se aprendeu. O objetivo é mostrar que Gestão é muito mais do que o folclore que muitas empresas seguem sem pensar, especialmente no que acreditam sobre o gerenciamento de pessoas.

Nome: Vinícius Teles
Vinícius Teles é fundador da consultoria Improve It, empresa de produtos web, que provê serviços de XP desde 2002. Escreveu o primeiro livro brasileiro de XP e trabalhou como coach e mentor de XP por muitos anos. Desenvolve com Rails desde 2006.

Palestra: Start Up – De empregado a empregador
Quer ter seu próprio negócio? Então venha conhecer a história de um empreendimento na área de software, que surgiu depois de uma demissão, se estruturou com a prestação de serviços de consultoria e hoje se mantém exclusivamente através de um produto web que é usado por inúmeros clientes em todo o Brasil.

Nome: Gilberto Mautner
Gilberto Mautner É CEO e Fundador da Locaweb. Graduado no ano de 1993 em Engenharia Eletrônica pelo ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica).

Trabalhou em Palo Alto, na Califórnia, no Vale do Silício. No Brasil, também atuou em empresas de consultoria como a Andersen Consulting (atual Accenture). Em 1998, Gilberto Mautner fundou a Locaweb.

Palestra: Abertura Locaweb
Nome: Luli Radfahrer

Luli Radfahrer (luli@luli.com.br) é Ph.D. em comunicação digital pela ECA-USP, de onde também é professor há mais de 15 anos. Trabalha com internet desde 1994, foi diretor de criação na área digital para algumas das maiores agências de propaganda e portais no Brasil e Estados Unidos. Hoje é consultor em comunicação digital e inovação para empresas no Brasil, Canadá, Estados Unidos e Oriente Médio.

Palestra: A nova escala da inovação.
Nome: Microsoft

Executivos da Microsoft.

Palestra: O futuro chegou, vagas abertas.
Nome: Gil Giardelli

Gil Giardelli é Co-founder da Gaia Creative, Justmail, e Permission, é também Coordenador dos Cursos na ESPM de Ações Inovadoras em Comunicação Digital e Startups, economia criativa e Empreendedorismo na era digital. Co-autor de três livros de “Internet – O encontro de dois mundos”, “e-causos” e Inovação digital – Intercon 2009″.
Painel: Cyber Punk – Mediador – Gil Giardelli.

Ver programação completa

Deixe um comentário

Arquivado em Diversos, Eventos

4 maneiras de reforçar sua privacidade nos serviços do Google

Picasa, YouTube, Orkut e Gmail têm caminhos próprios para definir o que pode e o que não pode ser visto por outros internautas.

Cuide de suas informações pessoais

Cuide de suas informações pessoais

As redes sociais promoveram uma revolução no modo como nos comunicamos na web, mas vieram acompanhadas de diversas questões em relação à privacidade. Nos últimos dias, o alvo das críticas foi o Facebook, cujo recurso de Personalização Instantânea oferece a sites parceiros o acesso às informações públicas dos usuários. Antes dele, foi o Goggle Buzz, cuja inauguração foi marcada pela divulgação da lista pessoal de contatos do Gmail.

Os passos para proteger sua privacidade no Facebook depois do lançamento da Personalização Instantânea já foram explorados. Mas e nos diversos serviços do Google? Com as instruções abaixo, usuários de serviços como Buzz, YouTube, Orkut e Picasa poderão conferir suas configurações de privacidade, ajustando-as de acordo com suas necessidades. Vamos a elas.

Gmail
O Gmail pode não ser sua principal preocupação em relação a segurança – afinal, e-mails são feitos para serem sigilosos. Mas ele é a porta de entrada para um dos serviços mais polêmicos lançados pela Google nos últimos tempos: o Buzz.

O Google Buzz foi ativado automaticamente para todos os usuários do Gmail no lançamento, em fevereiro de 2010. Mais tarde, a Google reviu tal política. Agora, para ativar ou desativar o Buzz, basta clicar no link respectivo, no pé da página do Gmail.

É bom lembrar que o Google Buzz não será exterminado de sua conta do Gmail – ele e suas configurações ficarão hibernando até que você mude de ideia. Para realmente desligar o Buzz, é preciso clicar em Configurações (no canto direito da tela), escolher a aba Google Buzz e clicar no link “Desativar o Google Buzz completamente”.

Se a decisão for pela adesão ao Buzz, a primeira coisa que o serviço fará é mostrar quem você está seguindo e quem o segue, e as configurações de privacidade que se aplicam. É uma boa hora para rever a lista de seguidos e bloquear quem você não quer que o siga.

Um ponto polêmico do Buzz era a publicação das listas de contatos do usuário, montadas pela própria ferramenta e liberadas sem seu consentimento. A aba Goggle Buzz, em Configurações, oferece a opção de não mostrar essas listas no perfil público do usuário.

YouTube
Embora seja projetado desde a base para divulgar seus vídeos na web, o serviço – que passou a fazer parte da Google em 2006, numa aquisição bilionária – acena com a possibilidade de ajustes de privacidade.

Você pode, por exemplo, impedir que o YouTube use suas informações da sua conta para oferecer ‘publicidade relevante’. Isso não vai bloquear a publicidade, mas você não irá receber anúncios de acordo com seus dados pessoais, como gênero e faixa etária.

Também é possível bloquear a exibição de estatísticas e dados sobre os vídeos, e restringir o envio de mensagens e o compartilhamento de vídeos apenas a amigos.

Cada vídeo individual também pode ter suas configurações de privacidade definidas. Clique em Vídeos para ver a relação completa. No vídeo a ser reconfigurado, clique em Editar. Uma caixa do lado esquerdo inferior da tela traz as opções Compartilhar seu vídeo com o mundo (padrão) e Privado (visível para até 25 pessoas).

Na opção Privado, é possível escolher entre gerar um endereço web de acesso limitado (para colar e enviar por e-mail às pessoas com as quais você vai compartilhar) e o compartilhamento privado com os usuários do YouTube – neste caso, você precisará informar os nomes dos usuários para notificá-los da existência do vídeo.

Outras opções incluem a distribuição (que pode ser restrita a PCs, sem incluir celulares e TV), a não incorporação deste vídeo por sites externos (o que impedirá a geração de código embedded, para inserção em outros sites) e a não informação de dados de localização (para que não saibam onde o vídeo foi gravado).

Orkut
As opções de ajuste de privacidade da rede social da Google estão sob o link Configurações do Orkut, no canto direito superior da tela. Um clique nesse link abrirá a página Minhas Configurações.

Uma das abas será Privacidade. Clique nela para abrira as opções de ajuste. Talvez a mais conhecida seja a Visitantes do Perfil – ela permite bloquear a publicação de informações que denunciam quem bisbilhotou no seu perfil.

Uma opção menos conhecida, mas que pode ser relevante para muitas pessoas, é a Orkut nos Resultados da Pesquisa do Google. Escolha “Ocultar Informações” caso não queira que seus dados do Orkut sejam listados nos resultados de pesquisa do Google.

As solicitações de amigos também podem ser restringidas por regras simples. O padrão é receber convites de qualquer um no Orkut, mas se quiser você poderá receber apenas solicitações de amigos dos amigos, ou de países e regiões específicas (Brasil e Portugal, por exemplo).

Sobre fotos, o usuário do Orkut pode desativar a marcação de fotos, impedindo você seja identificado nas fotos de outras pessoas. E no novo Orkut as atualizações que você faz aparecem na página de perfil das pessoas, mas se quiser essas atualizações podem ser desligadas – basta clicar na opção Ocultar Atualizações.

As fotos publicadas no Orkut podem ter seu acesso restrito. Clicando em Meus Álbuns a partir da tela de perfil, você encontrará uma lista de álbuns, cada uma com o botão Editar. Clique nele para configurar quem pode ver o álbum, se só alguns amigos, todos os amigos ou todos do Orkut. A opção Só Alguns Amigos permite a seleção de pessoas uma a uma ou de grupos inteiros, como Melhores Amigos ou Conhecidos, e até contatos de e-mail.

As informações do seu perfil pessoal não fazem parte da guia Privacidade, mas o acesso a elas também pode ser restrito. Para ter acesso aos ajustes, clique em Mais Informações, no cabeçalho da página de perfil. Você irá visualizar a tela de perfil do velho Orkut. No link Editar à frente da opção Perfil no menu esquerdo da tela principal. As opções oferecidas para visualização são Só Eu, Apenas Meus Amigos, Amigos dos Amigos e Todos.

Picasa Web Albuns
O serviço de guarda e publicação de fotos na nuvem traz, sob o link Configurações do canto superior direito da página, o acesso à aba Privacidade e Permissões. As opções, no entanto, não são tão ricas. Você pode permitir a utilização das fotos sob a licença Creative Commons (embora a segunda opção – proibir a utilização – dificilmente possa ser respeitada). Você também pode bloquear o download das fotos.

Em relação aos álbuns, é possível definir para quais grupos o acesso será liberado. Há três grupos predefinidos: Amigos, Família e Colegas de Trabalho, que originalmente estão vazios – você deverá povoá-los selecionando os contatos do Gmail.

Você também pode definir o compartilhamento de cada álbum. As opções são Público (o álbum aparece para todos que visualizarem seu perfil no Picasa), Não Listado (só você verá o álbum) e Login necessário para Visualizar (permissão apenas para os que estiverem conectados ao Picasa).

Para ajustar essas configurações, entre no Picasa, clique num álbum para abri-lo; depois, clique no link Editar da barra de ferramentas, e escolha Propriedades do Álbum. Quando terminar os ajustes, não se esqueça de clicar em Salvar Alterações.

Deixe um comentário

Arquivado em Diversos, Segurança na internet

Colocar Rodapé fixo no fim da página

Você já precisou ter o rodapé fixo no fim da página algum dia. Normalmente os clientes chatos acham feio aquele rodapé terminando no meio da página quando há pouco conteúdo. Há uma técnica no CSS que resolve isso. Não funciona no IE6, já aviso agora. Na verdade, tem um jeito de funcionar, mas não quero te acostumar mal. 🙂

Lembrando que você pode fazer isso facilmente com JQuery.

Suponha que você tenha o código HTML:

<!DOCTYPE html PUBLIC “-//W3C//DTD XHTML 1.0 Strict//EN”
http://www.w3.org/TR/xhtml1/DTD/xhtml1-strict.dtd”&gt;

<html xmlns=”http://www.w3.org/1999/xhtml&#8221; xml:lang=”en” lang=”en”>
<head>
<meta http-equiv=”Content-Type” content=”text/html; charset=utf-8″/>

<title>Tableless.com.br</title>
</head>

<body>

<div>
<div>
HEADER
</div>
<div>
ESQUERDA
</div>
<div>
DIREITA
</div>
<div>
<p>
Lorem ipsum dolor sit amet
</p>
<p>
Duis id metus enim, sed dignissim magna.
</p>
</div>
<div>
FOOTER
</div>
</div>

</body>
</html>

E o seguinte CSS:

*  {
margin:0;
padding:0;
}

html, body {height:100%;}

.geral {
min-height:100%;
position:relative;
width:800px;
}

.footer {
position:absolute;
bottom:0;
width:100%;
}

.content {overflow:hidden;}
.aside {width:200px;}
.fleft {float:left;}
.fright {float:right;}

Na linha 6, você faz com que as tags body e html tenham 100% de altura. Isso fará com que o rodapé entenda que o limite dos dois elementos seja o final da janela do navegador.

Na linha 8, defino que a largura mínima do div GERAL, que é o div que envolve todo o site, seja de 100%. E defino um position: relative; para que o footer seja referenciado por ele.

Na linha 14, eu defino um position: absolute; e bottom:0; para footer, forçando sempre para o final do div.
Se houver pouco conteúdo o Rodapé fica lá embaixo, se houver muito, o rodapé desce junto com o conteúdo.

Funciona em IE7+ e em bons browsers.

Fonte: Tableless

1 comentário

Arquivado em XHTML

Assista televisão em seu computador

Três programas gratuitos para assistir à TV no computador.

PC tv

PC tv

A dica de site desta semana traz programas que irão facilitar a vida na hora de assistir TV pela internet. O MegaCubo, por exemplo, oferece acesso a diversos canais de televisão para assistir através da tecnologia “streaming”. O Miro oferece os melhores canais da net em uma única interface gráfica. E o Joost conta com mais de 250 canais, com shows, filmes e clipes. Confira!

Joost

Megacubo

Miro

Fonte: Olhar Digital

Deixe um comentário

Arquivado em Diversos, Internet

Backup de e-mails do Outlook e sites favoritos

Na hora de fazer uma cópia de segurança, boa parte das pessoas lembra de copiar arquivos e pastas importantes. No entanto, outros itens  teoricamente menos importantes acabam passando em branco pelos usuários. Com base nisso, segue um tutorial que mostra como fazer cópia de mensagens e configurações do Outlook, além de como salvar os sites favoritos do navegador. Confira.

Microsoft Outlook
Para o tutorial foi utilizado o Microsoft Office 2003 (Clique aqui para ver o passo a passo detalhado). O programa de e-mail, que faz parte do pacote Office, é muito utilizado pelas empresas, sobretudo por ter uma interface mais voltada para a produtividade: tem calendário, permite a inserção de tarefas para cumprir, conta com um bom formulário de contatos, etc.

O processo para cópia de arquivos é simples. Basta ir ao menu Arquivo > Importar e Exportar. Na sequência, deve-se escolher a opção Exportar para um arquivo. No que diz respeito à seleção de formato de arquivo, a mais utilizada – até por ser mais estável – é a PST. Com isso definido,  basta selecionar as pastas de e-mail que deseja copiar e dar prosseguimento aos passos sugeridos pelo assistente do Outlook.

O procedimento utilizado para a cópia de e-mails também pode ser usado em backup de outros itens do Outlook como contatos e tarefas agendadas.

Outlook Express 6
Diferente do Microsoft Outlook, o Outlook Express 6 (Clique aqui para ver o passo a passo detalhado) é mais leve e tem menos funções. No entanto, seus grandes diferenciais, ao menos na hora de fazer backup de arquivos, são a simplicidade na cópia das pastas e a facilidade em copiar configurações.

Para fazer backup de mensagens no Outlook Express 6 é preciso achar a pasta de armazenamento e, em seguida, copiar seu conteúdo. A “localização” da pasta pode ser achada indo, com o programa aberto, no menu Ferramentas > Opções. Na sequência, escolha a aba Manutenção e clique no botão Pasta de Armazenamento. Depois é só acessar a pasta e copiar os arquivos com extensão “.dbx”, para um pendrive ou CD.

Backup Outlook

Backup Outlook

O processo para a cópia de configurações também é simples. Vá ao menu Ferramentas > Contas e selecione a aba E-mail. Depois, é preciso selecionar a conta de e-mail, que o usuário quer copiar as configurações, e clicar no botão Exportar. Será gerado um arquivo com extensão “.iaf”. Para aplicar as configurações em um Outlook Express sem nada, basta fazer o mesmo caminho, escolher a opção Importar e selecionar o arquivo.

Navegadores
Para mostrar o procedimento para a cópia de sites favoritos de navegadores, o UOL Tecnologia usou os 3 navegadores mais utilizados: Internet Explorer, Mozilla Firefox e Google Chrome.

O Internet Explorer tem um procedimento um pouco longo (clique aqui para ver o passo a passo), mas intuitivo. Após ir no menu Arquivo > Importar e Exportar, escolha Exportar para um Arquivo e marque Favoritos, na janela “O que você gostaria de exportar?”. Em seguida é só selecionar as pastas de Favoritos pretendidas e ir clicando no botão próximo.

Firefox (Clique aqui para ver o passo a passo no navegador da Mozilla) e Chrome (Clique aqui para ver o passo a passo no navegador do Google) usam procedimentos muito parecidos. Em ambos, após digitar simultaneamente Ctrl + Shift + B, abrem um Gerenciador de Favoritos, após isso é só ir na opção Importar e Backup – no Firefox – e Exportar Favoritos – no Chrome.

Fonte: UOL Tecnologia

Deixe um comentário

Arquivado em Browsers, Diversos, Segurança na internet

Faça uma ‘caneta stylus’ caseira usando lápis e meia velha

Os dedos nem sempre são as melhores ferramentas para interagir com telas sensíveis ao toque. Se você faz questão de um pouco mais de precisão e higiene na tela, pode fazer sua própria “caneta stylus” para rabiscar em iPads e outros aparelhos com “touch screen”.

Stylus Caseira

Stylus Caseira

A equipe do DS Labs criou uma solução barata: bastam um lápis e uma meia velha para você ter uma stylus. O vídeo no site mostra o improviso em ação – e parece funcionar muito bem.

Mas fique atento, pois a meia precisa ser feita de material antiestático. O passo-a-passo da criação pode ser visto no Instructables.

Fonte: Olhar Digital

Deixe um comentário

Arquivado em Diversos, Ferramentas, Tecnologia Móvel