Arquivo do mês: setembro 2009

Livros sobre HTML5 e CSS3

Recentemente tenho recebido uma enchorrada de e-mails e mensagens no Twitter pedindo a indicação de livros sobre HTML5 e CSS3. Com base nisso resolvi escrever esse post para deixar claro para as pessoas que “ainda” não existem livros sobre o assunto, mas por que?

Existem relatos de que a especificação do HTML5 estaria finalizada somente em 2022, portanto seria uma atitude muito precoce alguém lançar um livro sobre o assunto no atual momento, pois amanhã ou depois podem ocorrer mudanças nas especificações que estão sendo desenvolvidas no atual momento.

Veja o que já foi feito no site do W3C, ou veja o que o WHATWG está fazendo sobre o assunto.

Mas se você ainda não se contenta com tudo isso, então amigo, sinto muito, se contente por enquanto com esse Pocket Book sobre HTML5.

Deixe um comentário

Arquivado em CDigital News, Tecnologia e sistemas

SEO – Sitemaps

O Sitemaps é um formato simples de XML que serve para informar aos sistemas de buscas sobre seus endereços disponíveis para indexação. Esse XML relaciona as URLs existentes do seu site, com algumas informações como data da última atualização, prioridade da página em relação às outras páginas e freqüencia de atualização.

O sitemap.xml é um arquivo que pode ser gerado automaticamente por um plugin ou até mesmo escrito à mão pelo desenvolvedor.

O código básico do Sitemap:

<?xml version=”1.0″ encoding=”UTF-8″?>
<urlset xmlns=”http://www.sitemaps.org/schemas/sitemap/0.9″&gt;
<url>
<loc>http://www.example.com/</loc&gt;
<lastmod>2005-01-01</lastmod>
<changefreq>monthly</changefreq>
<priority>0.8</priority>
</url>
</urlset>

As tags que podem ser inseridas no sitemap.xml são essas:

Atributo Descrição
<urlset> obrigatório Executa o encapsulamento do arquivo e faz referência ao padrão de protocolo atual.
<url> obrigatório Tag pai de cada entrada de URL. O restante das tags são as tags filhas dessa tag.
<loc> obrigatório URL da página. Esse URL deve começar com um protocolo (como http) e terminar com
uma barra final, caso seja exigido pelo seu servidor. Esse valor deve conter menos
de 2.048 caracteres.
<lastmod> opcional A data da última modificação do arquivo. Essa data deve estar no formato de
data e hora do W3C
. Esse formato permite omitir o horário, se desejar, e
usar AAAA-MM-DD.Lembre-se de que esta tag é separada do cabeçalho If-Modified-Since (304) que o servidor pode retornar, e os mecanismos de pesquisa podem usar as informações de ambas as fontes de forma diferente.
<changefreq> opcional A freqüência com que a página é alterada. Esse valor fornece informações gerais para os mecanismos de pesquisa e pode ser que ele não corresponda exatamente à freqüência de indexação da página. Os valores válidos são:

  • always
  • hourly
  • daily
  • weekly
  • monthly
  • anual
  • never

O valor “always” deve ser usado para descrever os documentos que sempre são alterados quando acessados. O valor “never” deve ser usado para descrever os URLs arquivados. Observe que o valor dessa tag é considerado uma dica e não um comando. Mesmo que os indexadores de mecanismo de pesquisa possam considerar essas informações ao tomar decisões, pode ser que indexem as páginas marcadas como “horárias” com menos freqüência do que isso e talvez façam a indexação de páginas marcadas como “anualmente” com mais freqüência do que isso. Os indexadores podem indexar páginas marcadas como “nunca” periodicamente, para que possam lidar com alterações inesperadas
nessas páginas.

<priority> opcional A prioridade desse URL em relação a outros URLs do mesmo site. Os valores válidos vão de 0.0 a 1.0. Esse valor não afeta o modo como as páginas são comparadas às páginas em outros sites — apenas permite que os mecanismos de pesquisa saibam quais páginas você considera mais importantes para os indexadores.A prioridade padrão de uma página é 0,5.
Observe que não é provável que a prioridade atribuída a uma página influencie a posição dos URLs nas páginas de resultados de um mecanismo de pesquisa. Os mecanismos de pesquisa podem usar essas informações quando selecionam entre URLs no mesmo site. Use essa tag para aumentar a probabilidade de a maioria das páginas importantes estarem presentes em um índice de pesquisa.

Além disso, observe que a atribuição de uma prioridade alta a todos os URLs no site provavelmente não o ajudará. Como a prioridade é relativa, ela só é usada para priorizar os URLs do seu site.

Tabela retirada do sitemaps.org

Fonte – Artigo completo

Deixe um comentário

Arquivado em SEO

1a. Conferência Web W3C Brasil

A Conferência Web W3C Brasil foi criada para oferecer ao público brasileiro um amplo fórum anual de discussão e debate sobre a evolução da Web, a padronização de suas tecnologias e o impacto dessas tecnologias na sociedade e na cultura. A Conferência reunirá pesquisadores, desenvolvedores, usuários, empresas, agências digitais, mídia e todos aqueles que são apaixonados pela Web e que têm algo a oferecer, usar e debater.

W3C

W3C

A 1a. Conferência Web W3C Brasil 2009 será realizada em São Paulo, SP, nos dia 23 e 24 de novembro, no Blue Tree Towers Morumbi no bairro do Brooklin. Acesse este link para obter informações sobre o local, hotéis da região, chamada de trabalhos ou sobre como se inscrever para participar da conferência da web brasileira.

Deixe um comentário

Arquivado em CDigital News

Campus Party Brasil 2010

A Campus Party é o maior encontro de comunidades da Internet do mundo. Em 2010 o evento ocorrerá do dia 25 a 31 de Janeiro, é melhor ir se agendando para não perder este grande evento do mundo tecnológico.

Campus Party Brasil 2010

Campus Party Brasil 2010

Nele contém um espaço pensado para incentivar o compartilhamento, a aprendizagem e a transferência de conhecimentos. Nele, durante sete dias, milhares de participantes acampam em suas barracas, com seus computadores à tira-colo, trocando momentos, idéias e experiências.

Conheça mais no blog oficial do evento.

Deixe um comentário

Arquivado em CDigital News

Os Temporizadores do JavaScript

JavaScript tem duas funções muito úteis que servem para “agendar tarefas” que devam ser executadas. São elas o setTimeout e o setInterval.

O setTimeout tem dois parâmetros; o primeiro é uma string contendo o código a ser executado. O segundo é o tempo, em milissegundos, que se deve esperar para executar tal código. O seguinte trecho de código mostrará um alerta após 2000 milissegundos (ou seja, 2 segundos).

1.setTimeout(“alert(‘Viva!’)”, 2000);

A diferença entre setTimeout e setInterval é que o setTimeout executa o código especificado apenas uma vez. O setInterval executa infinitas vezes, com o intervalo de tempo especificado entre cada execução. Por exemplo, o seguinte código exibirá um alerta a cada 10 segundos.

1.setInterval(“alert(‘Viva!’)”, 10000);

Você pode se arrepender de ter agendado a execução do código. Nesse caso, são necessárias duas coisas: ter guardado a tarefa numa variável, e usar a função de cancelamento de execução. São duas as funções de cancelamento: clearTimeout, para cancelar as tarefas agendadas com setTimeout, e clearInterval, que cancela as agendadas com setInterval.
Por exemplo, o código abaixo não mostrará alerta algum, pois as tarefas agendadas serão canceladas.

1.var alerta_unico = setTimeout(“alert(‘Viva!’)”, 5000);
2.var alerta_intermitente = setInterval(“alert(‘Viva!’)”, 10000);
3.
4.clearTimeout(alerta_unico); // Cancela o alerta agendado em setTimeout
5.clearInterval(alerta_intermitente); // Cancela o alerta agendado em setInterval

Fonte

Deixe um comentário

Arquivado em Tecnologia e sistemas

Tecnologia Wimax

O padrão WiMAX tem como objetivo estabelecer a parte final da infra-estrutura de conexão de banda larga (last mile) oferecendo conectividade para uso doméstico, empresarial e em hotspots.

Imagem ilustrativa

Imagem ilustrativa

Funcionamento

A rede Wimax atualmente possui dois padroes:

  • Nomádico(IEEE 802.16-2004): é o padrão de acesso sem fio de banda larga fixa (também conhecido como WiMAX Fixo) e teve os primeiros equipamentos (Aperto Networks, Redline Communications, Wavesat e Sequans) homologados agora em Janeiro de 2006 pelo laboratório espanhol Cetecom.
  • Móvel (IEEE 802.16-2005): O 802.16e (ratificado em Dezembro de 2005) é o padrão de acesso sem fio de banda larga móvel – WiMAX Móvel (assegurando conectividade em velocidades de até 100 km/hora) e cujos equipamentos estarão disponíveis no mercado em meados de 2007.
  • As redes WiMAX funcionam de maneira semelhante à das redes Bluetooth. As transmissões de dados podem chegar aos 1Gbps a uma distância de até 50Km (radial), com estudos científicos para se chegar a 10Gbps. O funcionamento é parecido com o do Bluetooth e o Wi-Fi (no ponto de vista de ser transmissão e recepção de ondas de rádio), usado para comunicação entre pequenos dispositivos de uso pessoal, como PDAs, telefones celulares (telemóveis) de nova geração, computadores portáteis, mas também é utilizado para a comunicação de periféricos, como impressoras, scanners, etc. O WiMAX opera na faixa ISM (Industrial, Scientific, Medical) centrada em 2,45 GHz, que era formalmente reservada para alguns grupos de usuários profissionais. Nos Estados Unidos, a faixa ISM varia de 2400 a 2483,5 MHz. Na maioria da Europa, a mesma banda também está disponível. No Japão, a faixa varia de 2400 a 2500 MHz.

Vantagens

  • Diminui custos de infra-estrutura de banda larga para conexão com o usuário final (last mile);
  • Deverá ter uma aceitação grande por usuários, seguindo a tecnologia Wi-Fi (IEEE 802.11) e diminuindo ainda mais os custos da tecnologia;
  • Possibilitará, segundo a especificação, altas taxas de transmissão de dados;
  • Possibilitará a criação de uma rede de cobertura de conexão de Internet similar à de cobertura celular, permitindo acesso à Internet mesmo em movimento;
  • Existe amplo suporte do desenvolvimento e aprimoramento desta tecnologia por parte da indústria.

Saiba mais acessando: http://www.revistadewimax.com.br/

Deixe um comentário

Arquivado em Tecnologia e sistemas, Tecnologia Móvel

Versão final do Opera 10

A Opera Software liberou a versão final do Opera 10. O navegador está disponível para as plataformas Windows, Mac e Linux.

Opera 10

Opera 10

O novo browser promete ser até 40% mais rápido do que a última versão 9.6. Segundo a companhia norueguesa, o navegador também tem melhor desempenho em conexões discadas.

Uma novidade que deve agradar aos usuários é a possibilidade de realizar atualizações automáticas por meio do próprio browser, deixando de lado a necessidade de buscá-las na internet. A interface, desenvolvida pelo designer Jon Hicks, também se tornou mais intuitiva e agradável.

Para fazer o download da versão final do Opera 10, clique AQUI.

Deixe um comentário

Arquivado em Browsers