Arquivo do mês: dezembro 2008

SQL Server 2008 Management Studio – Novas ferramentas

Um post exclusivo das novas ferramentas do SQL Server 2008 Management Studio. Sem mais delongas, pois o novo SQL Sever 2008 já foi apresentado à todos.

Microsoft Sql 2008

Microsoft Sql 2008

As novas ferramentas do SQL Server 2008 foram muito esperadas principalmente por desenvolvedores e DBAs, pela facilidade que iam levar à todos, e quem sabe até um aumento de salário, pois com elas é possível realmente agradar o chefe.

Vamos a alguma novidades mais interessantes:

IntelliSense

Com o SQL Server 2008 é possível utilizar o editor de query do ManagementStudio com o IntelliSense, que funciona basicamente igual ao do Visual Studio, que fornece recursos para completar os comandos conforme vocês os digita. Ele destaca os erros de sintaxe e digitação, além de ajudar com parâmetros.

Como opinião pessoal, acho que essa é uma das melhores ferramentas implantadas no SQL Server 2008, principalmente pelo tempo poupado na hora de digitar os comandos e na busca de erros, onde ele nos informa na hora em que acabou de ser digitado. Mas, há quem diga que não gosta da ferramenta, e por causa disso é possível desativá-lo pelo painel de ferramentas, mas, ainda confio que quem não gosta da ferramenta muda de idéia rapidinho depois de usá-la um pouco.

Object Finder

Quantas vezes você tinha que modificar alguma procedure, coluna, tabelas, mas não lembrava o nome delas? Várias não é? Desenvolvedor e DBAs são todos assim. Mas agora, o SQL Server 2008 trouxe mais uma ferramenta para facilitar a vida de todos.

Ele trás uma caixa de busca onde retorna todos os tipos de objetos, se por exemplo você lembrar que na procedure tem o nome “Cliente” bem no meio, é só fazer uma busca que ele vai retornar todos os resultados com o nome Cliente. Também é possível usar sintaxes do tipo LIKE (‘%Texto%’). Enfim, termina a vida de ficar olhando linha por linha quando não se lembra onde ela está.
Debugger para código T-SQL

Sempre, quando é necessário resolver um problema no código T-SQL há a possibilidade de usar os comandos SELECT ou PRINT nas procedures para analisar o valor da variável em execução, claro, também existem outras maneiras, mas chegam a ser mais chatas do que essa.

Seus problemas acabaram!

Com o novo Management Studio é possível fazer debug do código T-SQL. Pode inclusive executar linha por linha, colocar breakpoints e ter watches para analisar o valor das variáveis. É uma excelente ferramenta para desenvolvedores aumentarem a qualidade do produto e diminuir o tempo de produção.
Consulta em vários servidores ao mesmo tempo

Acho que essa é a ferramenta que os DBAs mais sentiram falta  nas versões anteriores do SQL Server, sem ela é necessário realizar tarefas MUITO repetitivas de administração. Mas, agora é possível, a partir de servidores registrados no seu ambiente centralizado, disparar uma query (ou comando) que vai atingir todos os servidores do grupo de uma só vez.

Error List Window

Outra ferramenta para facilitar a vida dos desenvolvedores. A nova Error List Windows da os detalhes sobre o erro, e a posição exata dele. Semelhante ao Visual Studio. E não somente indicava a linha do mesmo, que as vezes ficava difícil achá-lo, quando, por exemplo, era apenas um erro de digitação simples.

Enfim galera, essas são as ferramentas que achei mais interessante no SQL Server 200 Management Studio, mas, não são apenas elas, existem diversas novidades no novo administrador de banco de dados da Microsoft. Vale a pena uma busca mais detalhada sobre o assunto.

Deixe um comentário

Arquivado em Tecnologia e sistemas

Avant fecha 85% dos pop-ups em flash

O Avant é um navegador que usa como motor o Internet Explorer. Ele é bem rápido e dificilmente demonstra instabilidade ou travamentos em páginas cheias de scripts pesadas. Esses são os dois grandes pontos positivos do programa.

Avant Browser

Avant Browser

O navegador é dono de uma interface de abas bem harmoniosas, que acaba deixando o software bem intuitivo e simples de usar. Na interface do programa é fácil encontrar os recursos de RSS, os favoritos e a ferramenta de busca.

O recurso destaque do software é a que permite ao internauta criar um perfil no site da Avant. Toda vez que ele entra na internet usando o browser, esse perfil é sincronizado, armazenando as informações de bookmarks e RSS do usuário, por exemplo dentro de um storage. Esse perfil fica disponibilizado para o internauta acessá-lo remotamente, de qualquer parte do mundo.

Popup Avant

Popup Avant

Outro grande diferencial do navegador é que ele tem suporte a skins. Se o internauta enjoar da cara do programa, dá pra baixar um tema da internet e alterá-lo completamente.

O software também se destaca por ter uma ferramenta que bloqueia propagandas feitas com a tecnologia flash, aquelas que costumam tocar musicas altas e, muitas vezes, bem chatinhas. Esse recurso do software é bem eficiente e costuma fechar 85% das propagandas em flash.

Como os outros navegadores, o Avant tem recursos para bloquear os pop-ups e o histórico de navegação, além de oferecer suporte a 40 idiomas, inclusive o português.

Baixe o Avant Browser

Deixe um comentário

Arquivado em Acessibilidade na internet, Browsers

O Visual Studio 2008 vai de Linq e Ajax

O Visual Studio 2008 traz recursos melhorados para desenvolvimento em Ajax e a possibilidade de acesso a bancos de dados por meio da poderosa linguagem Linq. Também se integra melhor a outros produtos da Microsoft, como o Silverlight e a suíte para design Expression. O INFOLAB avaliou a edição Professional do programa. Confira a análise a seguir.

Graças à adoção da linguagem Linq (Language Integrated Query, ou Linguagem Integrada de Consulta), a manipulação de arquivos XML e de bancos de dados no Visual Studio ficou mais fácil para quem está acostumado com linguagens orientadas a objetos. O INFOLAB verificou que é possível criar consultas em C# ou em Visual Basic mesmo sem ter conhecimento de SQL. Além disso, o Linq permite conectar bancos de dados de diferentes tipos, aproveitando-se de estruturas já existentes e de uma interface em que é possível arrastar e soltar itens.

A versão 2008 do pacote de desenvolvimento oferece mais informação para o programador saber onde está acertando ou errando. Ao abrir um arquivo XML, por exemplo, é possível dividir a tela para ver, ao mesmo tempo, código e resultado final. Cada mudança ou adição de informação é refl etida nas duas telas. Outra novidade é a janela que traz estilos CSS para ser usados diretamente. Ao selecionar um item da página, é possível observar quais estilos ele está usando e quais são as propriedades ativadas.

Deixe um comentário

Arquivado em Tecnologia e sistemas

Diferença entre position: static, relative, absolute e fixed

Neste tutorial vamos aprender a diferença entre position: static, relative, absolute e fixed no CSS.

Position: static

Esse é o valor default para todo elemento HTML, o que significa que o elemento não tem posicionamento definido e seu fluxo ocorre normalmente no documento HTML.
view plaincopy to clipboardprint?

1.
#div1 {position: static}

#div1 {position: static}

Não é necessário definir position:static para os elementos da página pois esse é o valor default.

Position: relative

Especificando position:relative agora você pode utilizar top ou bottom, right ou left para posicionar os elementos na página em relação ao lugar que ele ocuparia no fluxo do documento.
view plaincopy to clipboardprint?

1.
#div1 {
2.
position: relative;
3.
top: 40px;
4.
left: 20px;
5.
}

#div1 {
position: relative;
top: 40px;
left: 20px;
}

Nesse exemplo posicionamos o elemento a 40px do topo e a 20px da esquerda em relação ao lugar que ele ocuparia no fluxo do documento. Vale lembrar que utilizando position:relative todo esse espaço que foi definido ainda continua sendo ocupado pelo elemento na página. Exemplo.

Position: absolute

Utilizando position: absolute agora podemos posicionar exatamente nosso elemento em relação ao primeiro elemento pai com posição diferente de “static” numa sequência até parar no body.
view plaincopy to clipboardprint?

1.
#div1 {
2.
position: absolute;
3.
top: 40px;
4.
right:0;
5.
}

#div1 {
position: absolute;
top: 40px;
right:0;
}

Vale lembrar que a patir do momento que utilizamos position: absolute ele perde a ordem no fluxo do documento e o espaço ocupado passa a não existir mais. Exemplo.

Position: relative + position: absolute

Observem o seguinte código HTML:
view plaincopy to clipboardprint?

1.
<div id=”div1″>
2.
<div id=”div2″></div>
3.
</div>

<div id=”div1″>
<div id=”div2″></div>
</div>

Se definirmos position: relative para a div1 e position: absolute para a div2 a partir de agora a div2 se posicionará absolutamente em relação a div1, não mais em ralação ao body da página. Exemplo.

Position: fixed

view plaincopy to clipboardprint?

1.
#div1 {
2.
position: fixed;
3.
top:40px;
4.
left:10px;
5.
}

#div1 {
position: fixed;
top:40px;
left:10px;
}

Posiciona um elemento fixadamente na página em relação a janela, ou seja, independente de a pagina conter um scroll ou não, o elemento sempre ficará visíve ao usuário em relação as medidas definidas. Vale lembrar que esse tipo de posicionamento não funciona no Internet Explorer.Exemplo

Fonte

Deixe um comentário

Arquivado em CSS . Cascading Style Sheets

Japoneses se opõem a Google Street View

TÓQUIO – Um grupo de professores e advogados japoneses pediram ao Google para deixar de fornecer imagens detalhadas de ruas de cidades do Japão, argumentando que o serviço desrespeita leis de privacidade.

O Street View, ferramenta do gigante das buscas, permite a internautas visualizarem imagens detalhadas em 360º de locais específicos de 12 cidades japonesas.

“Suspeitamos que o Google esteja violando direitos básicos de privacidade que os seres humanos possuem”, disse Yasuhiko Tajima, professor da Universidade Sophia, em Tóquio.

“É necessário alertar a sociedade que um gigante de TI está explicitamente passando por cima de direitos dos cidadãos”, ele acrescentou.

O “The Campaign Against Surveillance Society”, grupo liderado por Tajima, quer que o Google pare de exibir imagens de ruas do Japão e apague o conteúdo que já está armazenado nos seus servidores.

Fonte

Deixe um comentário

Arquivado em Tecnologia e sistemas

Projeto libera comércio de pulseiras GPS

SÃO PAULO – Um projeto de lei, aprovado por uma comissão do Congresso, permite a criação de um comércio de pulseiras para humanos com localizador GPS.

GPS de pulso

GPS de pulso

O projeto foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara e ainda deve ser votado pelo plenário da Câmara e Senado. O texto permite que integradores vendam livremente pulseiras e tornozeleiras com navegador GPS embutido para uso em seres humanos.

A idéia é que teles e fabricantes de hardware criem produtos para uso em idosos, portadores de deficiência e pessoas com histórico de desapacerimento. O objetivo do projeto, segundo seu autor, o deputado catarinense Valdir Colatto (PMDB), é ampliar as formas de localização humana em benefício da proteção à vida.

Produtos para localização humana geram controvérsia pois, uma vez instalada uma pulseira do tipo, o cidadão que a recebe fica totalmente vulnerável ao monitoramento de seu tutor.

Para os adversários da idéia, o projeto abre uma brecha perigosa para invadir a privacidade de pessoas que não precisam ser tuteladas.

Fonte

Deixe um comentário

Arquivado em Tecnologia e sistemas

Android já tem quase 400 aplicativos

O Android Market, a lojinha de aplicativos gratuitos do G1, o celular do Google, já tem quase 400 aplicativos para download.  O perigo já não é escassez de opções – é excesso de ofertas.

Android Market, a lojinha de aplicativos gratuitos do G1

Android Market, a lojinha de aplicativos gratuitos do G1

Até as empresas começam a migrar para o G1 – a Salesforce , de CRM online, já compareceu, e a Omniture, de web analytics, também.  Entre as novidades bacanas estão duas do próprio Google: o Picasa Uploader e um editor de Google Maps, para customização dos mapas.

Todos os aplicativos aparecem com avaliação de até cinco estrelas.  O programinha de to do Remember the Milk, outra das novidades, aparece com duas e meia. Não tem no G1 nem um décimo da funcionalidade que exibe no iPhone. Em compensação, o ótimo Quickpedia, como o nome sugere, um atalho para a Wikipedia, mostra quatro estrelas e meia, e arrasa no G1.

Pelo que se viu até agora, o Android vai longe.  No momento, celular em operação com o sistema só existe mesmo o G1, fabricado para a T-Mobile e seus clientes nos Estados Unidos e na Inglaterra, e os aplicativos já impressionam.  Imagine quando outras empresas da Open Handset Alliance (Sony-Ericsson, Samsung, LG, Asus…) começarem a colocar seus aparelhinhos no mercado e a turma  do software livre realmente pegar gosto pela coisa…

Fonte

Deixe um comentário

Arquivado em Tecnologia e sistemas